sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Flávio Azevedo
Na última terça-feira (17/01), o nosso editor, o jornalista Flávio Azevedo; fez comentários a possibilidade de terceirização dos setores do Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV) de Rio Bonito. Segundo ele, as negociações estão mais adiantadas que se imagina. Segundo as suas fontes, o grupo que tem a pretensão de assumir setores do HRDV é de Itaboraí e já começaria assumindo a gestão do CTI.

Outra ponderação que tem sido feita nos bastidores do HRDV é que essa empresa seria dos ex-prefeitos, Helil Cardoso (Itaboraí) e Solange Almeida (Rio Bonito). "Penso que mesmo sendo essa terceirização um negócio da China, os supostos comandantes do grupo que deseja assumir setores do hospital não me dão esperança. Pelo contrário! Eu fico muito apreensivo", escreveu o jornalista.

Nessa sexta-feira (20/01), uma nota pedindo que o jornalista se retrate e prove essas informações foi divulgada nas redes sociais. A nota, supostamente assinada pela ex-prefeita, Solange Almeida, foi divulgada por terceiros.
– Então venho a público desafiar o " jornalista" Flávio Azevedo a provar que eu, Solange Almeida, tenho uma firma em sociedade com o senhor Elil, ex-prefeito de Itaboraí – teria escrito a ex-prefeita.

O nosso editor divulgou ainda na tarde desse dia 20/01, durante o Programa Flávio Azevedo, que vai ao ar pela Rádio Jornal 1340 AM – Leste Fluminense, a sua “RETRATAÇÃO”.

Saúde e bem estar na pauta do Programa Flávio Azevedo

Flávio Azevedo
O programa Flávio Azevedo, dessa sexta-feira (20/01), recebe o médico, João Jorge Cabral Nogueira. Na pauta, Saúde e temas afins

Para presidente do IPREVIRB Instituto está quebrado por culpa da Prefeitura de Rio Bonito

Flávio Azevedo
A manhã da última quinta-feira (19/01) foi marcada por uma reunião no Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Rio Bonito (Iprevirb). Na ocasião a diretoria da Casa recebeu aposentados e pensionistas para oferecer explicações sobre a falta do pagamento de dezembro e 13º salário. 

No dia seguinte, a nossa reportagem retorna ao Iprevirb para entrevistar o presidente José Antônio Cardoso, que respondeu questionamentos sobre o funcionamento do Instituto, convocou os servidores a estarem mais próximos do Instituto, criticou o poder Executivo “que em todas as épocas nunca respeitaram o servidor e Instituto”; discorreu sobre o concurso público do IPREVIRB, realizado em 2015; informou o número de funcionários da Casa e gastos com folha de pagamento, entre outros temas.

Denúncias apontam Hospital Darcy Vargas funcionando por controle remoto

Flávio Azevedo
O Hospital Regional Darcy Vargas é uma das unidades de Saúde mais importantes da Região.
A denúncia do presidente do Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV), José de Aguiar Borges; contra o médico Luiz Eduardo Utrini Amim, acusado de “omissão de socorro”, continua rendendo e tendo novos desdobramentos. A notícia gerou indignação, motivou questionamentos e as informações sobre atitudes “estranhas” por parte do comando da entidade não param de chegar aos nossos canais de comunicação. As situações apontadas deixam muito nítido que “Kaki”, como o presidente do hospital é mais conhecido, é apenas o representante de figuras que comandam o HRDV através dele. A ideia de terceirização de setores da unidade, o tratamento dispensado aos funcionários e atos administrativos recentes; deixam claro que o dirigente máximo do HRDV é o instrumento de um grupo que comanda a entidade por ‘osmose’.

As principais denúncias que chegam as nossas mídias é de que existe vigilância diuturna sobre os funcionários. “Nos corredores nós ouvimos ameaças do tipo, cuidado com o que você curte e compartilha no Facebook!”, conta uma funcionária que implora para não ser identificada. Outro funcionário da unidade confessa que “estamos sendo persuadidos a agir de determinadas maneiras e somos vigiados o tempo todo”. Essas narrativas deixam claro o clima de tensão que existe no hospital, entidade que sempre foi sonho de consumo dos grupos políticos de Rio Bonito. Outro funcionário, que também pede para ter a identidade protegida, diz que “apesar do medo de perder o emprego, eu não posso ser omisso diante das injustiças que o presidente do hospital e aqueles que estão por trás dele estão cometendo”.

Uma informação no mínimo curiosa é que o presidente teria bloqueado a senha de acesso a movimentação bancaria do HRDV dos integrantes do departamento financeiro. Ele teria criado nova senha que só ele tem acesso. Outra notícia é que num momento de crise em que não há dinheiro para nada, o presidente do HRDV está contratando, para cargos de chefia, funcionários que recentemente eram do staff da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Bonito, “o que mostra quem seriam os gênios por trás do presidente”.
– Essas pessoas estão sendo espalhadas por vários setores do hospital e tem a finalidade de vigiar o funcionalismo e as nossas ações. Elas não estão ali para produzir para o hospital, mas para os interesses de quem comanda até o presidente da instituição. O pior é que tudo isso acontece sob o olhar dos associados e do Conselho Deliberativo, que abaixa a cabeça para tudo isso – pondera uma das nossas fontes.

Outras situações

Alguns integrantes do quadro de enfermagem questionam o encerramento da greve que a categoria deflagrou no dia 12/01. A reclamação é que a decisão foi precipitada e baseada em promessas.
– O Sindicato determinou que os técnicos retornem as atividades, porque o pagamento estará na conta sexta-feira (20/01), mas o combinado era encerrar a greve quando o pagamento estivesse na conta. O pior, porém, é que o 13º salário, que também não recebemos, até agora sequer foi comentado. Assim como o presidente retirou benefícios dos nossos contracheques, com a argumentação que está fazendo empréstimo com os funcionários, o nosso medo é que ele também tenha decidido pegar o nosso 13º emprestado – comenta outro servidor do hospital.

Os funcionários que estão sendo contratados, que pertenciam ao staff da antiga Secretaria de Saúde, foram tema da reunião da diretoria do HRDV com os funcionários, na última segunda-feira (16/01). Na ocasião, o presidente José de Aguiar Borges teria dito que “ele contra quem ele quer e paga quanto ele quer”. Segundo nossas fontes, a ideia do presidente é contratar mais pessoas para vários setores.
– Essa situação gera desequilíbrio ao já combalido hospital, porque em alguns lugares têm funcionário batendo cabeça. Já em outros setores uma pessoa sozinha é obrigada a dar conta de serviços que deveriam ser divididos com mais gente – frisa a nossa fonte, que reclama o corte da insalubridade feito sob o pretexto de economizar, quando “os verdadeiros vazadouros de recursos do hospital, como sempre acontece, seguem sem ser mexidos por pura conveniência”.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Lei Maria da penha na pauta do Programa Flávio Azevedo

Flávio Azevedo
O programa Flávio Azevedo, dessa quinta-feira (19/01), recebeu a advogada, Paula Carvalho. Na pauta, violência contra a mulher, os efeitos da Lei Maria da Penha e assuntos do gênero. 

Teorias da conspiração dominam as conversas sobre morte de Teori Zavascki

Flávio Azevedo
O ministro do STF, Teori Zavascki.
O cara analisava delação de 77 executivos da Odebrecht, era relator da Operação Lava Jato, estava em suas mãos implodir essa República de quadrilheiros e ladrões que se chama Brasil... E vocês querem que eu acredite que o avião dele caiu por acaso?

Aliás, depois do ocorrido com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, morto na tarde dessa quinta-feira (19/01), num acidente de avião (mesmo local do desaparecimento de Ulysses Guimarães), eu não ficarei surpreso se dia desses acordarmos com a notícia de que o juiz Sérgio Moro morreu afogado enquanto lava o rosto no lavabo da sua casa!

E para quem acha que só eu aprecio a "teoria da conspiração" convém destacar que o delegado Márcio Anselmo, que cuida da Operação Lava Jato, chegou a publicar nas redes sociais uma nota pedindo a investigação do acidente. O delegado afirmou que Teori Zavascki surpreendeu a todos pelo extremo zelo com que suportou esse período conturbado e destacou que "na véspera da homologação da colaboração premiada da Odebrecht, esse ‘acidente’ (ele escreveu acidente entre aspas) deve ser investigado a fundo”.

Se o delegado da Lava Jato está bolado, porque nós não podemos ficar? Aí tem coisa! 

Ministro do STF, Teori Zavascki; morre em queda de avião em Paraty, no Rio de Janeiro

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, relator da Lava Jato, morreu nesta quinta-feira (19) à tarde na queda de um bimotor em Paraty, no sul do estado do Rio. O avião levava quatro pessoas. O avião partiu do Campo de Marte, em São Paulo, às 13h01, em direção a Paraty, no sul do estado do Rio. A previsão era de que a aeronave chegasse às 13h30. A distância entre os aeroportos é de 199 quilômetros. Mas a dois quilômetros da cabeceira da pista, em Paraty, o avião caiu. A queda foi próximo à Ilha Rasa.

Chovia na hora do acidente. Segundo o Clima Tempo, uma chuva moderada. Entre as 13h e 14h, foram onze milímetros de precipitação. Ainda de acordo com o Clima Tempo, não havia registro de vento forte. A Marinha soube do acidente às 13h45. Imagens foram feitas por uma turista que passava de lancha pelo local. O dono de uma pousada na Ilha Rasa conta o que viu logo depois da queda.

O ministro Teori Zavaski tinha 68 anos e dedicou a vida ao conhecimento do direito. Um dos ministros mais técnicos do Supremo Tribunal Federal. Assim Teori Zavascki era reconhecido entre juristas e também seus pares. Nascido em Faxinal dos Guedes, em Santa Catarina, Teori se formou em direito e fez doutorado pela Universidade do Rio Grande do Sul. Era especialista em processo civil e direito tributário. Também foi professor da Universidade de Brasília.

Teori foi advogado, juiz federal e escreveu vários livros. Durante uma década, foi ministro do Superior Tribunal de Justiça, o STJ. Chegou lá em 2003, nomeado pelo ex-presidente Lula. Em 2012, foi nomeado pela ex-presidente Dilma Rousseff ao Supremo Tribunal Federal, na vaga deixada pelo ministro César Peluso que se aposentou. 

Viúvo desde 2013, pai de três filhos, o ministro torcedor do Grêmio de Porto Alegre era um homem de perfil discreto e avesso a comentários ou entrevistas. O silêncio sobre os casos que chegavam ao seu gabinete tinha uma razão técnica: ele não queria tornar-se "impedido" de julgar por antecipar alguma opinião. Teori sempre preferia falar nos autos e neles era crítico, mesmo quando recorria às entrelinhas.

Fonte: G1

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Dr. Luiz Eduardo Utrini um dos melhores com quem trabalhei

Flávio Azevedo
Dia desses encontrei o amigo Luiz Eduardo num momento de lazer. É um cara sensacional!
O médico Luiz Eduardo Utrini Amim, um dos melhores profissionais com que eu trabalhei nos meus tempos de técnico de enfermagem, foi denunciado ao Conselho Regional de Medicina (CRM) pelo presidente do Hospital Regional Darcy Vargas (HRDV), José de Aguiar Borges (Kaki), por omissão de socorro (SIC). 

No programa Flávio Azevedo dessa quarta-feira (18/01) eu tive a oportunidade de dar o meu depoimento sobre esse assunto e testemunhar sobre a atuação exemplar desse profissional. Eu tive a oportunidade de trabalhar com Dr. Luiz Eduardo, no HRDV; e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Mas foi no hospital que eu mais convivi com ele. Naqueles seis anos, eu nunca vi um gesto que lembrasse omissão de socorro ou coisa similar.
Aproveito para me solidarizar outra vez com a trupe da enfermagem, em greve desde o último dia 12/01 por motivos mais que razoáveis; sugiro que o presidente do HRDV reveja essa denúncia contra Luiz Eduardo, certamente uma decisão tomada de cabeça quente; e peço que o associado do HRDV exerça o seu papel de sócio e investigue sobre situações que estão acontecendo e podem acontecer na entidade. 

Aproveito a ocasião para cumprimentar os voluntários que estão contribuindo com o hospital de forma muito positiva nesse momento de incerteza, uma iniciativa que é exemplo de abnegação para todos nós. 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Justiça determina que Prefeitura de Rio Bonito pague profissionais de Educação em 48h

Flávio Azevedo
Se não aparecer um “Napoleão”, um “Siro Darlan” ou uma liminar do plantão Judiciário, o núcleo local do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe) pode ter conseguido uma vitória importante na luta pelos direitos da categoria que representa. Segundo postagem publicada no Facebook da entidade, nessa terça-feira (17/01), a juíza da 1ª Vara Cível de Rio Bonito, Juliana Cardoso Monteiro de Barros; deferiu liminar requerida pelo Sepe. Isso significa que a Prefeitura tem até 48 horas para depositar os valores relativos aos salários vencidos e ainda não pagos aos servidores da rede municipal de Educação, além do 13º salário. Ainda segundo a publicação do Sepe, o pagamento deve ser acrescido de juros legais e correção monetária. O não cumprimento da decisão Judicial pode provocar arresto das verbas públicas da prefeitura para o pagamento débito.

Nas mídias sociais, profissionais de Educação comemoram a decisão, mas muitos demonstram pé atrás com os desdobramentos da decisão. “Opa! Notícia boa, mas vale lembrar que existe o plantão judicial”, comenta o professor Ciraldo Júnior. A servidora Lívia Cerino comenta que “é um alento”, mas destaca que outros municípios viveram algo semelhante e os servidores continuam sem receber. Ela acrescenta: “vamos acompanhar esperançosos e realistas”. A professora, Elane Feijó; parabeniza os integrantes do Sepe, mas recomenda: “vamos esperar que nenhum “plantão” derrube essa liminar”. Também demonstra satisfação e ‘pé atrás’, a servidora Manuela Brito, que ironiza: “Siro Darlan está de plantão hoje? Se tiver... Já era!”.

A ironia do servidor remete ao fato do prefeito José Luiz Antunes, o Mandiocão (PP) estar inelegível para participar das eleições de 2016, mas ter participado por conta de uma liminar do desembargador Siro Darlan, dada no plantão Judiciário, que cancelou a sessão Legislativa de novembro de 2013. O impedimento da participação de Mandiocão no pleito era o fato de estar com a ficha suja, porque na sessão cancelada as suas contas foram rejeitadas pela Câmara de Vereadores. Os parlamentares acompanharam parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que era contrário as contas do prefeito referentes ao exercício de 2012. A liminar tornou sem efeito a sessão Legislativa e naturalmente os seus efeitos, a inelegibilidade de Mandiocão.

Previdência de Silva Jardim aumenta R$ 37 milhões nos últimos quatro anos

Muito tem se falado no país, vários estados e em diversos municípios brasileiros das dificuldades em gerir a previdência pública. Em Silva Jardim, a boa gestão do governo municipal e os investimentos arrojados do Instituto de Previdência do município (IPSJ) fizeram o saldo previdenciário dos servidores municipais aumentar em mais de R$ 37 milhões em apenas quatro anos de gestão.
– Em 2013 o IPSJ tinha um saldo de R$ 38,5 milhões em caixa, e finalizamos o ano de 2016 com mais de R$ 75,5 milhões. Vários fatores contribuíram para este aumento, os repasses da prefeitura em dia, uma carteira de investimento que se preocupou com premissas confiáveis de investimentos financeiros, segurança, rentabilidade, solvência, liquidez e boas práticas de governança – disse a presidente do IPSJ Rosilane Brum.

O prefeito de Silva Jardim, Anderson Alexandre (PMDB); se mostrou feliz com o saldo positivo no IPSJ. “O saldo previdenciário de Silva Jardim foi além de todas as expectativas, aumentamos em mais de 96% em apenas quatro anos, isto mostra o nosso compromisso com as garantias de aposentadoria dos servidores efetivos do município que contam com uma previdência sólida e que tem gerado bons retornos em investimentos”, disse o chefe do executivo municipal.

De acordo com o IPSJ, 1216 servidores efetivos contribuem com a previdência municipal e atualmente existem 277 aposentados pela gestão municipal, sendo 193 na Prefeitura e 84 pelo instituto de previdência, já pensionistas são 86, sendo 65 pela Prefeitura e 21 pelo IPSJ.

Fonte: Ascom/RB