sábado, 30 de agosto de 2014

Rescaldo da Audiência Pública da Educação de Rio Bonito

Flávio Azevedo
Eu não sou professor, não conheço a fundo a legislação que rege a Educação e também não consigo entender como podem existir leis que determinam uma mínima remuneração para os profissionais dessa área que não são cumpridas e isso fica impune. Nessa sexta-feira (29/08), Rio Bonito viu aconteceu uma Audiência Pública para tratar de vários aspectos relacionados a Educação da rede municipal.

Na ocasião, os presentes ouviram alguém dizendo que o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) está sendo elaborado há cerca de sete anos e se eu não estou enganado, o tão sonhado PCCR está agarrado numa maldita “nota técnica”. Isso me fez pensar em como tem gente cretina nesse mundo!

Está muito nítido que o problema de Rio Bonito está nas administrações estrábicas que dirigiram Rio Bonito nos últimos 20 anos. Também está nítido que os nossos governantes se comportam como crianças mimadas, que só fazem o que lhes convém. Aliás, também está nítido que quando contrariados essas “crianças” fazem pirraça, choram e ficam emburradinhas.

Está mais nítido ainda que, até aqui, o PCCR simplesmente não interessou a nenhum governo, que divulgam uma “nota esfarrapada” ou uma “desculpa técnica” para justificar a falta de vontade política para resolver a questão, já que distribuir contratos, diárias, horas extras e cargos comissionados garante a governabilidade e a possibilidade de se perpetuar e/ou se revezar no poder.

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Morre Eduardo Campos e a esperança de renovação da política nacional

Flávio Azevedo
Morreu nessa quarta-feira (13/08), vítima de um acidente aéreo, em Santos/SP, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), de 49 anos. A notícia deixa perplexo o país, que via no político pernambucano, que é neto do grande líder político, Miguel Arraes (foto 3), uma chance de renovação no cenário político do Brasil. Eduardo Campos era casado e tinha cinco filhos, o mais novo um bebê de sete meses.
O presidenciável tinha uma programação de campanha em Santos. Chovia no momento do acidente. De acordo com a assessoria do candidato, ele participaria às 8h, às 9h30min e às 14h30min de entrevistas a TVs locais. Às 10h30min, concederia uma entrevista coletiva; e às 12h30min participaria de um seminário sobre o Porto de Santos. A bordo da aeronave, estavam sete pessoas, dos quais cinco passageiros (entre eles Campos) e dois tripulantes.
A aeronave que transportava Eduardo Campos e seus assessores era um Cessna 560XL, um jato executivo com duas turbinas e 16 metros de comprimento, 5,23 m de altura e 17,17 m de largura. O avião tinha a capacidade de transportar nove passageiros. O alcance da aeronave é de 3.900 km, o que significa, por exemplo, que pode voar de Porto Alegre a Belém sem fazer escalas. Sua velocidade máxima é de 800 km/h.

Última entrevista

Nessa terça-feira (12/08), ao “Jornal das Dez” da Globo News, Eduardo Campos concedeu a sua última entrevista. A primeira conversa foi sobre economia, onde ele abordou a questão da Petrobras, “a única petroleira que aumenta as vendas, mas também contabilizar prejuízos”; e o aumento de energia e combustíveis que está sendo esperado para depois das eleições. Ele também defendeu regras claras para o reajuste dos combustíveis.
Ele também comentou o “fator previdenciário”. A criação de um conselho nacional para garantir controle social e transparência dos gastos públicos também foi assunto. Ele destacou que a partir do momento que se vive mais, em todo mundo a questão da previdência é um problema sério. “O que não pode é a pessoa que contribuiu a vida toda por três salários receber menos que isso”.
O candidato também comentou que não é possível existir municípios que representem prejuízos para os cofres da União. “Tem município que é criado unicamente para gerar emprego público, mas não representa avanço para a população daquele território”, disse Eduardo Campos, comentando que essas são razões para os gastos públicos que oneram os cofres públicos.
Sobre a possibilidade de uma maior presença do ex-presidente Lula, num futuro governo da presidenta Dilma Rousseff, o candidato do PSB disse que isso não passa de um marketing do PT e justifica.
– Quando a presidenta foi eleita, havia uma satisfação popular com o PT, com o presidente Lula. Hoje, o desejo de mudança é muito forte e isso será fundamental para a não reeleição da presidenta – disse Campos, apesar de ter conhecimento das pesquisas eleitorais que apontam para a possibilidade de reeleição do governo Dilma.
Sobre a inversão de posições na chapa, vindo Marina Silva como candidata a presidência e ele vice, Eduardo Campos respondeu que a presença dele como candidato foi uma proposta da própria Marina Silva.
– Ela queria um debate programático com ênfase em três princípios: compromissos naquilo que o Brasil conquistou, melhorar a qualidade da democracia e dialogar com a sociedade para construir uma base programática de entendimento – comentou.
Sobre estar em segundo colocado nas pesquisas eleitorais no seu estado, Pernambuco, onde Dilma lidera; e estar em terceiro lugar em estados importantes do Nordeste, como na Bahia, onde perde para Dilma e Aécio Neves; ele explicou que pesquisas internas do partido apontam o seu crescimento, algumas inclusive, feitas em Pernambuco, onde ele vence Dilma Rousseff com 20 pontos de diferença.
– A população ainda está distante do processo eleitoral. Quando o horário eleitoral começar, as pesquisas apontarão outra realidade. Eu tenho pesquisas que eu já venço a presidência com mais de 20 pontos. Pesquisas feitas em Pernambuco, estado que eu governei por duas vezes, fiz um governo reconhecido pela população e que sabe dos meus compromissos com a governança, que olhe para os que mais precisam, que inove, que valorize o mérito e que faça as mudanças chegarem à vida das pessoas – concluiu.

Mais um golpe na almejada renovação

A trajetória de Eduardo Campos, que se encerra com uma tragédia, lembra o também representante do Nordeste, Luís Eduardo Magalhães, filho do líder político baiano, Antônio Carlos Magalhães (foto), que também ingressou na política muito jovem, ocupou vários cargos públicos, foi deputado federal, sendo, inclusive, presidente da Câmara dos Deputados (1995/1997). Quando morreu, em 21 de abril de 1998, vítima de um infarto fulminante, aos 43 anos, Luís Eduardo Magalhães era considerado o próximo governador da Bahia.
Luís Eduardo Magalhães era apelidado de "Príncipe" dos deputados por ser articulador e demonstrar habilidade política admirável. Tinha paciência para negociar e se destacava por conhecer, pelo nome, cada deputado do Congresso Nacional. Também era admirado por receber, em seu gabinete, os deputados de menor expressão, os chamados “baixo clero”.
Dado o seu poder de articulação, a trajetória do baiano também o credenciava a disputar a presidência da República num futuro próximo, até ter a sua vida interrompida pelo infarto.

Prefeitura de Rio Bonito mete os pés pelas mãos

Flávio Azevedo
A Prefeitura de Rio Bonito, através das pessoas que comandam o poder Executivo, declarou apoio a Matheus Neto (candidato a deputado estadual), Marcos Abrahão (candidato a deputado estadual) e mais recentemente a Marquinhos da Luanda Car (candidato a deputado federal).

Através de um governo fraco, sem realizações, onde o trivial é comemorado como se fosse uma grande realização, o governo municipal tem perdido popularidade. Até aqui, a marca da atual gestão era a falta de habilidade política e liberdade para os secretários atuarem. De algumas semanas para cá, porém, alia-se a isso, as atitudes persecutórias e impopulares.

Estão muito enganados os senhores, Paulo Melo e Eduardo Cunha, se estiverem pensando em conseguir, em Rio Bonito, um montante superior a 3 mil votos. E nunca é demais lembrar que o atual governo foi eleito com 15.964 votos.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

PMDB lança campanha em Rio Bonito na corrida pelas eleições de cinco de outubro

Flávio Azevedo
Com as presenças dos prefeitos de Tanguá, Silva Jardim (vice), Itaboraí, vereadores desses respectivos municípios e de lideranças de toda região, o PMDB lançou de maneira oficial a sua campanha em Rio Bonito. O evento aconteceu nessa quarta-feira (30/07), no Esporte Clube Fluminense. A prefeita Solange Almeida chegou, por volta das 19h30min, acompanhada do governador, Luiz Fernando Pezão, dos deputados, Paulo Melo (estadual) e Eduardo Cunha (federal); e Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador, Sérgio Cabral, que também disputa uma das vagas do Congresso Nacional.
O grupo era esperado por centenas de correligionários e cabos eleitorais que estavam munidos de bandeiras e bandeirolas. Na esquina da Rua Nilo Peçanha com a Av. Manuel Duarte, um grupo colocava “praguinhas”, com o número do PMDB, no peito de quem chegava. Boa parte dos vereadores de Rio Bonito estava presente, entre eles Marcos Fernando da Fonseca, o Marquinhos da Luanda Car, que está na corrida por uma das cadeiras do parlamento federal. Luanda foi chamado ao palco pelo governador Pezão, único que mencionou a candidatura de Marquinhos a deputado federal.
Embora não tenha tido a oportunidade de falar no evento, em seu perfil, no Facebook, o vereador Marquinhos da Luanda Car mencionou o evento e agradeceu “o carinho do governador Pezão”. Ele destacou a beleza da festa e demonstrou confiança na “caminhada vitoriosa que nós estamos trilhando”. Ele terminou agradecendo “as manifestações de apoio e apreço dos presentes”.
– Além da atenção do governador, Pezão, muitos amigos e correligionários, gente que vem acompanhando o nosso trabalho, vieram me abraçar, me cumprimentar e oferecer uma palavra de incentivo. Essa demonstração de apreço me deixa esperançoso quanto ao nosso futuro! Obrigado amigos! – encerrou Luanda.

Muita rasgação de seda

O primeiro a falar foi o vereador, Reginaldo Ferreira Dutra, o Reis, que comentou a amizade dele com o deputado Paulo Melo; pediu aos seus eleitores para votar no amigo; destacou a presença dos vereadores riobonitenses presentes; e comentou as obras que Rio Bonito está recebendo da administração do PMDB. Na sequência discursou a candidata Soraia Santos, esposa do deputado federal, Alexandre Santos, que não vai disputar as eleições, mas está indicando a esposa para o cargo.
Sob alguns gritos de “olha que gatinho!”, também fez o seu discurso, o presidente do PMDB Jovem, Marco Antônio Cabral. Para ele, que tem dicção e trejeitos muito similares ao pai, “o atual governo do estado é a gestão que mais investiu no interior do Rio de Janeiro, por isso deve continuar a governar o território fluminense”.
Também discursaram Eduardo Cunha e César Maia. Esse concorre a uma das vagas do Senado Federal. Aquele tenta retornar ao Congresso Nacional. Eduardo Cunha destacou a sua amizade com a prefeita Solange Almeida; frisou que ela faz falta no Congresso Nacional; disse que em Brasília a prefeita constantemente estava buscando investimentos e emendas para Rio Bonito; e ressaltou a importância de se votar com consciência. Já César Maia destacou a qualidade do grupo vitorioso que foi montado pelo PMDB e destacou a sua experiência de 50 anos na vida pública é o seu diferencial na disputa pela vaga do Senador Federal.

Solange Almeida

Com a tradicional emoção que lhe é peculiar, a prefeita Solange Almeida iniciou o seu discurso ressaltando o volume de pessoas presentes e para delírio dos seus cabos eleitorais disparou: “atiçaram o formigueiro!". Durante a sua fala, ela ressaltou a importância do deputado federal, Eduardo Cunha para a manutenção do seu mandato de deputada federal.
– Eu tive o meu mandato caçado e por três anos eu fiquei pendurada por uma liminar. O meu mandato foi mito prejudicado por conta dessa situação, mas eu sempre pude contar com Eduardo Cunha. Ele sempre esteve ao meu lado até que eu fui inocentada – contou a prefeita.
Sobre o deputado Paulo Melo, a prefeita destacou a origem humilde do presidente da Alerj; lembrou a sua trajetória de vida; e frisou que Rio Bonito precisa apoiar o deputado por ser ele um dos grandes responsáveis pelas obras que estão chegando ao município. Ela também enalteceu os nomes de Pezão e Sérgio Cabral e acrescentou: “mesmo que você não goste de mim, não deixe de votar em Pezão, porque você estará votando a favor de Rio Bonito”, afirmou a prefeita que terminou a sua fala com um verso bíblico: “Quando o justo governa, o povo se alegra; quando o ímpio governa, o povo geme".

Mais rasgação de seda

O deputado Paulo Melo voltou a dizer que o político é empregado do povo e que as pessoas públicas precisam ter “vergonha na cara e trabalhar em prol de quem o elege para justificar a confiança que recebe do eleitor”. Ele disse ainda o homem público é um empregado do povo e espera que o povo de Rio Bonito renove o seu contrato para que ele possa trabalhar mais quatro anos na Alerj por esse povo.
Finalizou o governador Luiz Fernando Pezão, que ressaltou a dedicação da prefeita Solange Almeida por Rio Bonito; o quanto ela busca melhorar a vida do município, através das ações do governo federal; e gracejou: “vaga em hospital então eu já perdi a conta do número de telefonemas que recebo”. Sem comentar nomes de candidatos a Presidência da República, Pezão voltou a ressaltar as ações do governo do Estado nas áreas de Saúde e Segurança, mas pouca coisa para o interior.
– Estamos avançando muito em todos os setores. O Estado do Rio, hoje, é um estado forte. Temos o melhor senador do Brasil conosco, o nosso vice, Francisco Dornelles. Temos um colaborador que não posso deixar de destacar, que é o Felipe Peixoto. Temos ao nosso lado, muitas pessoas que estão dando tudo de si pela nossa vitória – disse o governador, anunciando que o seu nome tem crescido nas pesquisas. “Enquanto o nosso nome cresce os outros ficam no mesmo patamar, isso é um grande sinal para nós”.

terça-feira, 29 de julho de 2014

"Loucos por Jesus"

Flávio Azevedo 
Ginásio Antônio Figueiredo lotado para receber o Seminário “Loucos por Jesus”, no último domingo (27/07), no Rio Bonito Atlético Clube. Ao ver minha publicação sobre o evento, alguém me pergunta in box: “ué, depois do que você escreveu sobre a Marcha Para Jesus, eu pensei que você iria criticar esse evento".

Bem, diante desse pensamento equivocado, eu acho interessante dar novo esclarecimento sobre a minha posição a respeito de eventos promovidos pelo segmento gospel:

1 – Nada tenho contra os evangélicos. Aliás, eu também sou evangélico;

2 – Nada tenho contra a Marcha Para Jesus, que tenha todos os dias, não financiada com o dinheiro público;

3 – O evento que recebeu o pastor Lucinho foi cobrado (R$ 20,00) o ingresso, mas as pessoas pagaram para entrar e custear a programação, que não foi custeada com dinheiro dos cofres públicos;

4 – Que bom seria se nós pudéssemos subvencionar eventos religiosos, que realmente, aos olhos da moral, é mais decente que o Carnaval. Entretanto, o artigo 19 da Constituição Brasileira proíbe subvencionar o que é relacionado à religião, não fala nada de Carnaval ou eventos culturais e esportivos;

5 – A Constituição tem esse artigo, porque o Estado, graça a Deus, é laico. Aliás, não fosse o Estado laico, ia ter evangélico querendo me colocar na fogueira da inquisição, querendo me decapitar ou me jogar às feras, somente porque eu discordei da forma como foi feita a Marcha Para Jesus;

6 – Os vereadores, líderes religiosos e qualquer outro brasileiro, que discordam desse importante artigo (19) da Constituição Brasileira, que se candidatem ao Senado Federal ou Congresso Nacional, e façam uma “emenda supressiva ou modificativa” nesse artigo.

No mais, parabéns aos organizadores do seminário "Loucos Por Jesus" e o meu cumprimento especial ao glorioso Jonatas Teixeira, que se empenhou bastante para que ele acontecesse. Legal ver um rapaz tão jovem e tão dedicado às coisas de Deus. Que Papai do Céu o conserve assim! E que outros aprendam como é que se promove "Jesus" sem um centavo de recurso público.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Roubo de carga na BR – 101 em Imbaú/SJ

Flávio Azevedo 
O roubo de carga, um dos crimes mais comuns da Região, voltou a acontecer na madrugada dessa terça-feira (22/07). O motorista de um caminhão que fazia o transporte de salmão teve o seu veículo roubado quando parou num posto de combustíveis no Km 242, na altura de Imbaú, em Silva Jardim. Segundo o registro policial, o motorista foi rendido por dois homens armados.

Os bandidos agiram com o mesmo modus operandi que tem sido registrado por outras vítimas. Depois de ser rendido ele foi levado pelos marginais junto com o caminhão e toda carga. Quilômetros adiante o motorista foi deixado num matagal às margens da BR – 101. A polícia confirmou que a carga estava segurada. O valor do roubo não foi informado.

Muitos casos na BR – 101

Na reunião do Conselho Comunitário de Segurança (CCS), do último dia 16 de julho, o comandante da 3ª CIA da Polícia Militar de Rio Bonito, Anderson Sodré, falou sobre os roubos de veículos em Rio Bonito. De acordo com ele, cerca de 50% dos casos são roubos que acontece na BR – 101, que por ser uma rodovia federal, não está sob a jurisdição da Polícia Militar.
– Dos últimos 37 casos de roubo de veículos, mais da metade disso aconteceu na BR – 101, onde acontece muito roubo de carga e do caminhão. Esses números acabam figurando em nossas estatísticas, mas nós não temos o que fazer, porque a jurisdição dessa área é da Polícia Rodoviária Federal – lembrou Sodré, acrescentando que das metas estipuladas para a 3ª CIA, apenas essa não foi cumprida, “porque muitos desses roubos acontecem fora do nosso raio de ação”.

As demais metas alcançadas foram a de homicídio e roubo a transeunte.

Dez presos em operação do 35º BPM

Flávio Azevedo 
A polícia segue trabalhando. Duas operações realizadas por homens do 35º BPM resultou na prisão de seis homens e quatro menores. A ação aconteceu na madrugada desta terça-feira (22/07). A primeira prisão foi em Itambi, no 3º Distrito de Itaboraí, onde quatro homens foram presos e dois menores foram apreendidos. A operação foi executada por homens do Serviço Reservado (P2). Com eles, a polícia encontrou duas pistolas calibre 380 e grande quantidade de drogas.

Em outra ação dos policiais, em Manilha, dois homens foram presos e dois menores foram apreendidos. Eles estavam com um revólver, calibre 38, e um veículo roubado. O quarteto é suspeito de ser responsável por assaltos em pontos de ônibus da região.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Aplicação de dinheiro público em prédio religioso pode tirar César Maia da corrida pelo senado

Flávio Azevedo 
O ex-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, César Maia.
Agora escuta essa! A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (PRE/RJ) impugnou o registro da candidatura ao senado do ex-prefeito do Rio e atual vereador César Maia (DEM). O entendimento é que ele cometeu improbidade administrativa. De acordo com a sentença, em seu último mandato como prefeito, César Maia usou dinheiro público para construir uma igreja em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Com a condenação, ele perdeu os direitos políticos por cinco anos. A decisão é passível de recurso.

Nas últimas semanas, o assunto em debate foi a Marcha Para Jesus de Rio Bonito. A Prefeitura local estava prontinha para subvencionar o evento com R$ 60 mil. Pensando nesse e em outros fatores, eu escrevi um texto sobre o assunto, comentando, inclusive o artigo 19 da Constituição Federal (1988) que diz assim: “É VEDADO À UNIÃO, AOS ESTADOS, AO DISTRITO FEDERAL E AOS MUNICÍPIOS: - ESTABELECER CULTOS RELIGIOSOS OU IGREJAS, SUBVENCIONÁ-LOS, EMBARAÇAR-LHES O FUNCIONAMENTO OU MANTER COM ELES OU SEUS REPRESENTANTES RELAÇÕES DE DEPENDÊNCIA OU ALIANÇA, RESSALVADA, NA FORMA DA LEI, A COLABORAÇÃO DE INTERESSE PÚBLICO”.

Será que é tão difícil entender que eu não tenho nada contra as igrejas e denominações? Será que é tão difícil entender que eu estava dando uma orientação que já havia, inclusive, sido reiterada pela Procuradoria Geral do Município? Esqueceram que desde a gestão do prefeito anterior a Procuradoria tenta fazer o chefe do poder Executivo entender que esse tipo de ação é inconstitucional? Será que realmente é preciso gastar R$ 60 mil numa Marcha Para Jesus?

Durante o evento, que aconteceu no dia 21 de junho, alguém disse que “o sujeito que escreveu os textos criticando a subvenção para a “Marcha Para Jesus” não serve sequer para ser síndico de um prédio”. Acreditamos que essa afirmação tem como origem, a ideia que alguns têm de que o eu serei candidato a algum cargo eletivo nas eleições municipais de 2016 (essa expectativa se arrasta desde 2008). Se você pensa assim eu deixo um alerta: você está perdendo seu tempo!

Está perdendo tempo porque, realmente, eu não sirvo para ser síndico, sobretudo se o prédio em questão for a cidade de Rio Bonito, uma construção velha, que precisa trocar com urgência a instalação elétrica, hidráulica, o telhado, os rebocos, pisos etc. Eu acrescento que entre as reformas urgentes desse prédio chamado Rio Bonito, está uma atenção especial àquele setor que tem comercializado a devoção das pessoas e faz da fé alheia um mercado próspero e muito lucrativo.

É claro que tem muita gente bem intencionada por aí, mas esses “gente boa”, para não perder o título de “gente boa”, preferem não ingressar nas fileiras daqueles discordam da mercantilização que tem sido feita com o nome de Jesus. Pensemos nisso!

sábado, 19 de julho de 2014

Preso com drogas e liberado

Flávio Azevedo 
Policiais militares prenderam nesse sábado (19/07), um jovem de 21 anos sob a acusação de tráfico de drogas. Ele portava droga e dinheiro. O jovem foi detido na Praça B. Lopes, em Rio Bonito. Na 118ª DP (Araruama), para onde o jovem foi levado, após fazer o registro, o delegado qualificou o moço como “usuário de drogas” e o liberou. 

Afinal de contas, se a lei há muito tempo está liberando o usuário (o que nem sempre é verdade), porque o governo não libera logo essa desgraça? Por outro lado, será que as temidas, cocaína e maconha, são realmente muito piores que a bebida alcoólica? 

Outras perguntas: por que se drogar com álcool é permitido e com as outras drogas não? Será realmente preocupação com o povo a verdadeira razão para a criminalização das outras drogas? Liberar significa legalizar e legalizar significa pagar impostos sobre a respectiva atividade. Ou seja, não seria essa (perder dinheiro para o governo), a verdadeira razão para manter a criminalização da droga?

Vale a discussão! Mas, por favor, esqueçam o senso comum!

Atenção ‘buxas’-sacos dele e dela!

Flávio Azevedo

Em 2009, o governador Sérgio Cabral observa a assinatura do convênio entre Município e Estado, com os seus respectivos representantes, Mandiocão e Pezão.
Não foram poucas as vezes que eu falei e escrevi que o ex-prefeito Mandiocão foi levado no bico, quando sob a contemplação de Cabral, ele e o então secretário estadual de Obras, Pezão; assinaram um tal convênio para o asfaltamento de 29 km de ruas em Rio Bonito. Isso aconteceu em 14 de outubro de 2009, época que Cabral e Pezão se preparavam para a reeleição.

Na Praça da Bandeira, onde a solenidade aconteceu sob vaias dos topiqueiros, eles falaram em pavimentar a Jacuba, o Green Valley, o Cajueiros etc. Pois bem, sempre que eu escrevia isso, os ‘buxas’-sacos de Mandiocão ficavam bravos comigo e diziam que eu era cabo eleitoral de Solange (rsrsrsrs).

Agora, o mesmo governo do estado veio a Rio Bonito e, outra vez, assinou, no último dia 30 de junho, um tal convênio para asfaltar ruas que já haviam prometido fazer em outubro de 2009. Novamente eu volto a dizer que as chances do governo municipal ser levado no bico é grande. Baseio a minha impressão na história que eu acabei de contar. O interessante é que quando eu digo ou escrevo isso, os ‘buxas’ sacos de Solange dizem que eu sou cabo eleitoral de Mandiocão (rsrsrs).

A verdade ‘buxas’ sacos, é que eu não sou tapado e sei fazer uso do meu cérebro! Espero que, sobretudo os ‘buxas’ sacos de Mandiocão, tenham aprendam a lição, já que nesse sábado (19/07), o ex-prefeito José Luiz Mandiocão, assumiu publicamente que sim ele foi levado no bico pelo ex-governador e disse mais. Segundo o ex-prefeito, "a pedido da cúpula do governo do estado, o então coordenador de Defesa Civil Márcio Garcia, foi exonerado. O pedido da cúpula Cabral era uma retaliação ao fato de Márcio ser um dos líderes das manifestações dos Bombeiros por melhores salários"!

Sendo assim, quando eu escrever ou disser alguma coisa, por favor, usem o cérebro para depois comentar, seja esse comentário contrário ou favorável!